Biopoder Camponês (Biopoder campesino)

Por Sebastiao Pinheiro.

O exponencial de riscos de Mudança Climática cresce com desastres como as tempestades de pó desde a Mongólia até o Japão e o avanço dos Furacões e Tornados cada vez atingindo maior latitude no Hemisfério Boreal e começando a tornar-se freqüente no Austral, onde amiúde as catástrofes como secas prolongadas, golpes de calor e as “Super-Células” e “Micro-explosões” (Porto Alegre e Campinas) se fazem presentes. Os cientistas chineses Li Cuilan, Gao Shuqing, Gao Qiang, Wang Lichun e Zhang Jinjing, felizmente, se debruçam sobre o teor de “Huminas” na matéria orgânica do solo para reversão dos fenômenos meteorológicos através da Geoengenharia.

A agricultura moderna nos últimos dois Séculos negligenciou no conhecimento da Matéria Orgânica no Solo em especial sobre os “ácidos húmicos”; Mais ainda sobre as Huminas, a fração insolúvel dos mesmos. No entanto, já em 1826, Carl Sprengel, pai da Lei do Mínimo, separava o “Carvão Húmus”; E, em 1839 Berzelius a “Huminas” que permaneciam insolúveis nas soluções alcalinas. Somente em 1919 Oden completou sua classificação onde além do Carvão Húmus (Huminas) temos: Ácido Húmico – Ácido Himatomelânico e Ácido Fúlvico conforme a Tabela 4 do livro “O Húmus” de S. Waksman na página 82. (foto)

A restauração popular da Cromatografia de Pfeiffer na última década permitiu aprofundar este fracionamento de forma pedagógica para o “Biopoder Camponês”, embora sem uma preocupação maior com as Huminas, agora estratégicas na ameça de Mudança Climática (COP 21). Essa é a preocupação chinesa e também das Fundações Rockefeller, Bill & Melinda Gates e Institutos de Pesquisas pelo mundo.

Na última década a cromatografia das Chinampas, Ultisoles, Terra Preta de Índio da Amazônia, Turfas, Leonarditas e compostos mostraram que as Glomalinas, Huminas e, principalmente, o “Carvão Ativado Coloidal” presente nelas precisam ser levado em consideração na Cromatografia de Pfeiffer, pois às 6 horas de repouso e decantação da amostra no método não é suficiente. Foi necessário ampliar este prazo para 12 horas, 18 horas e 24 horas para uma “corrida” limpa no cromatograma sem a necessidade de diluição da amostra (5g/50ml NaOH 1%) ou uso de saturação de vapor de água.

O método de fracionamento das Huminas Solúveis em Álcalis (AS) e das Huminas Insolúveis em Álcalis (AIS) proposto pelos cientistas chineses é muito complicado, pois exige a partição com solução 0,1 M/L de NaOH + Na4P2O7 a 0,1 M/L de 25 a 28 vezes seguido de tratamento com HF – HCl a 10% para desconstruir a biomolécula. A Humina isolada é então fracionada nas frações Humina-AS e Humina- AIS por extração exaustiva com NaOH 0,1 mol L -1 (de 12 a 15 vezes) e a análise de Ressonância Magnética Nuclear do C13 em estado sólido, usando a técnica de polarização cruzada e o ângulo mágico (13C CPMAS RMN) é utilizada para caracterizar e comparar as estruturas químicas da Humina e suas frações correspondentes. (foto)

Este último parágrafo deixa qualquer técnico “perdido” ou impotente, pelo que devemos “huarachizar” a ciência para evitar que ultrapasse a “barreira do som” (entendimento popular), muito comum nas caricatas academias.

Então uma colaboração: – Após a terceira mexida tradicional da Cromatografia de Pfeiffer na solução de Solo Agrícola Comum, Turfa ou Terra Preta de Índio se deixa a mesma decantar por duas horas e se trasfega com cuidado para outro frasco, assim se elimina a Areia fina e Silt (que passam na malha 200 mesh ou vual).

Deixa-se decantar às 4 horas seguintes no escuro e a baixa temperatura no caso de solo agrícola comum (e 10, 16 e 22 horas nas amostras de Ultisoles, Composto, Turfa e/ou Terra Preta de Índio da Amazônia) e se trasfega com cuidado para outro frasco a parte solúvel ficando no fundo a fração de Huminas insolúveis em álcalis, uma goma igual a um chiclete. É possível lavar essa fração com água destilada e colocá-la para secar e posterior determinação gravimétrica para avaliar os efeitos da aplicação de Pós de Rochas, Biocharcoal, Adubação Verde, Compostagens e S.A.Fs aplicados ao solo em estudo. Isto é fantástico…

Os chineses dizem que seus resultados evidenciaram que, independentemente do tipo de solo, a humina total era a mais alifática e mais hidrofóbica, A Humina-AS foi a menos alifática e A Humina-AIS foi a menos alquilada entre as três componentes húmicas. Os resultados demonstraram que a Humina Total e suas correspondentes frações AS-humina e AIS-humina são estruturalmente diferentes uma da outra, o que implica que há diferença entre as funções desses componentes húmicos no ambiente como fixadoras dos gases do Efeito Estufa no solo que é a meta do poder financeiro, industrial e econômico sobre a ciência mundial.

O Biopoder Camponês contribui de outra forma: O cromatograma de Pfeiffer feito com terra de casa de cupim nos permite ver o maior equilíbrio que na maioria dos solos e até mesmo da Turfa ou Terra Preta de Índio da Amazônia. O húmus ao ser mastigado ou passar pelo trato intestinal da térmita é preparado para as paredes da casa do ser ultrassocial e o protege da radiação ultravioleta e calor, além de possuir um campo eletromagnético poderoso e uniforme. (foto) Na Amazônia os indígenas usam os cupinzeiros como fornos pela sua capacidade de resistir a altas temperaturas, o que foi aplicado ao “nariz” dos Space Shuttle da NASA revestidos de polímeros sintéticos que imitam as paredes dos cupinzeiros na sua forma tridimensional de dispor os ácidos húmicos para aguentar as temperaturas e luz ultravioleta que levariam um metal ao derretimento ao reingresso na atmosfera terrestre pelo atrito e risco aos tripulantes no interior da espaçonave. Os egiptólogos sabem que nas pilhas faraônicas utilizavam húmus junto com os metais de Cobre e zinco para prolongar sua durabilidade. (foto)
A maior atividade ultrassocial do Biopoder Camponês é produzir alimentos; A complementar evitar a Mudança Climática e a suplementar impedir que os avanços da tecnologia ultrapassem a barreira do entendimento. Já os governos títeres primam por fazê-lo e seus súditos com a mão sobre o coração cantam seu hino na Copa América.

Anuncios